Fluminense empata com o Flamengo e leva o título do Carioca 2022

Fluminense empata com o Flamengo e leva o título do Carioca 2022

Depois de 27 anos, o Flamengo voltou a perder um título do Campeonato Carioca. E o responsável por conseguir o feito foi o Fluminense, que conseguiu segurar o Rubro-Negro e empatou em 1 a 1 no segundo jogo da decisão, no Maracanã, e voltou a comemorar uma conquista do Estadual depois de dez anos.

O primeiro tempo foi digno de uma final de Campeonato Carioca, com as duas equipes buscando o gol, o que surpreendeu muita gente, já que o estilo de jogo do Fluminense, que já costuma ser defensivo, tinha o regulamento debaixo do braço, pois havia vencido a partida de ida por 2 a 0. Mas, mesmo assim, Abel Braga mandou a equipe ser ofensiva

A primeira jogada de perigo foi do Fluminense, logo aos cinco minutos. Em cobrança de escanteio, Ganso levantou na área. Manoel ganhou da zaga e cabeceou bonito, mas a bola foi para fora. No lance seguinte, Cano recebeu na entrada da área pela direita e tentou a finalização. Gustavo Henrique deu o carrinho e cortou para escanteio.

Aos nove, o Flamengo respondeu. Lázaro chutou para o gol e a bola explodiu em Nino. Na sequência, Andreas Pereira arriscou de longe e a bola foi para fora. Aos 12, o Rubro-Negro voltou a levar perigo ao gol de Fábio. Arrascaeta cobrou escanteio, e Gustavo Henrique cabeceou para fora.

Aos 28, o Flamengo conseguiu abrir o placar. Hugo lançou, Bruno Henrique ganhou de Nino e raspou de cabeça. A bola foi para Arrascaeta. O uruguaio deu um lindo giro em cima de Manoel, avançou pela esquerda e cruzou. Gabigol entrou batendo. Fábio ainda tocou nela, mas não impediu o gol rubro-negro.

O Fluminense, que mandava no meio de campo, sobretudo Ganso, quem comandava os tricolores, não sentiu o golpe e correu atrás do empate. E conseguiu aos 43 minutos. Arias tabelou com Ganso pela esquerda e cruzou para trás. Cano chega batendo. A bola desviou em Filipe Luís e enganou o goleiro Hugo. Festa no Maracanã, com os torcedores fazendo o "L", a tradicional comemoração do atacante argentino.

Na segunda etapa, o roteiro do jogo também teve muita emoção. Aos 14 minutos, Yago lançou para Cano na entrada da área pela direita. O atacante dominou, e a bola bateu na mão de Filipe Luís. O árbitro não marcou pênalti no primeiro momento, mas depois foi chamado pelo VAR para verificar o lance. Aos 16, o árbitro marcou a penalidade máxima. Cano pegou a bola, bateu e... perdeu. Hugo Souza, com os pés, salvou e continuou dando esperança aos rubro-negros.

Depois disso, o Fluminense adotou a estratégia de se segurar e só sair no contra-ataque. O plano de Abel Braga deu certo, e o Flamengo não conseguia passar pelo forte sistema defensivo montado pelo Tricolor. Arrascaeta, no lado rubro-negro, sentiu dores musculares e continuou em campo na base do sacrifício para tentar ajudar a equipe.

Aos 33, Everton Ribeiro se livrou de Martinelli na entrada da área e soltou uma bomba. A bola explodiu no peito de Manoel. Aos 37, Matheuzinho cruzou pela direita, a bola desviou em David Braz e Fábio deu um tapa para afastar.

Aos 44 minutos, o tempo fechou. Fred, do Fluminense, e Bruno Henrique, do Flamengo, se estranharam, trocaram empurrões e foram expulsos. Na saída do campo, os dois voltaram a bater boca, fizeram cabeça com cabeça e a confusão começou na beira do gramado. Copos foram arremessados por torcedores.

Depois de alguns minutos, a bola voltou a rolar, mas os jogadores do Flamengo, apáticos, jogaram a tolaha e viram o título escapar depois de uma derrota e um empate para o Fluminense. No agregado, o Tricolor venceu por 3 a 1.